Páginas

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Como ser feliz com o que tens



Há cerca de 6 anos atrás, estava eu no secundário e, começámos a estudar Fernando Pessoa. Não sabia, na altura, a importância que este poeta viria a ter na minha vida. Depois de muitos poemas estudados chegámos a um que me marcou mais do que qualquer outro, e que ainda hoje me acompanha no meu coração. O poema intitulado "Não sei se é sonho, se realidade".
Todos nós procuramos a felicidade, todos nos questionamos onde estará... E há muitos anos atrás Pessoa dava-nos a resposta...

Não é com ilhas do fim do mundo,
Nem com palmares de sonho ou não,
Que cura a alma seu mal profundo,
Que o bem nos entra no coração.
É em nós que é tudo. É ali, ali,
Que a vida é jovem e o amor sorri.


O momento em que li com atenção este poema muita coisa fez sentido para mim. Por mais clichê que seja : a felicidade está de facto dentro de nós. Numa sociedade de consumismo procuramos a felicidade em viagens, em comprar coisas, em possuir bens... Colocamos a nossa felicidade sempre nalgum local, nalgum momento específico "quando tiver um emprego vou ser super feliz", "quando comprar a minha casa de sonho é que eu irei ser realmente feliz". Estamos sempre focados na ilha de Fernando Pessoa, na ilha perfeita que queremos conquistar mas que quando lá chegamos percebemos que é uma ilha como as outras. 

Ao contrário do que nos fizerem acreditar a felicidade é uma escolha! E quanto mais cedo entendermos e assimilar-mos isso com o nosso coração mais rápido nos tornaremos felizes com nós mesmos e com a vida.

E como é um processo muito interior muito pessoal, deixo-vos algumas dicas para começarem esta mudança em vocês mesmos:



Pára de projetar a tua felicidade em coisas/locais/pessoas

Esta é a dica mais essencial de todas! Encara a realidade: aquela pessoa não te irá trazer A felicidade, aquela viagem não vai preencher esse vazio triste e aqueles sapatos que viste na Zara muio menos! A felicidade tens que ir buscá-la dentro de ti mesma. Podes ser muito feliz com alguém, mas primeiro tens que ser feliz dentro de ti. Aquela viagem pode ser uma experiência fantástica, mas primeiro tens que te preencher de felicidade por ti mesma.
O essencial aqui não é fazeres ou não certas coisas, é o intuito com que são feitas. E o intuito nunca deve ser a busca de uma felicidade ilusória. 




Pratica a gratitude

Já tenho um post escrito neste blog há bastante tempo atrás sobre diários de gratidão e a sua importância. Manter o foco em tudo o que bom acontece na nossa vida, ajuda-nos a ser mais felizes, ser mais completos. Muitas coisas boas nos acontecem todos os dias: seja a atitude de certa pessoa, seja um bolo delicioso, seja uma chuva aconchegante numa tarde de domingo,... Todos os dias há toneladas de situações pelas quais devemos estar gratos!
O que acontece com a maior parte da população é que focam as suas energias nas coisas más que aconteceram durante o dia. Precisamos de mudar o foco. "Ernergias positivas atraem coisas positivas", por isso foca-te em tudo o que tens de fantástico todos os dias porque o Universo irá dár-te mais e mais coisas pelas quais irás estar grata!




Cria uma lista de "fuga"

Todos temos momentos menos bons, mas o modo como encaramos isso é que diz muito sobre nós próprios. Ter momentos maus é humano, fazer desse momentos maus o foco da nossa vida é uma escolha. Vai haver situações em que iremos sentir medo, inveja, tristeza, mas podemos modificar este momentos com uma lista de fuga. E o que é afinal uma lista de fuga? É uma pequena lista de coisas que nos acalmam, que nos confortam, que nos deixam felizes só de pensar. Por exemplo... Quando estou naqueles dias mais difíceis no trabalho penso no bem que me irá saber chegar a casa depois de um dia exaustivo. Quando alguma coisa que idealizei não corre como esperado e fico triste, penso em tudo o que já criei de fantástico e que me saiu tão bem.
Esta lista de fuga nada mais é do que situações positivas que sabes que irão mudar logo o teu estado de espírito.



Passa tempo contigo mesma

Sinto que cada vez mais temos dificuldade de estarmos connosco mesmos. Estamos em constante modo online, ou a ouvir música ou a ver séries ou videos no youtube. Podemos estar sozinhos mas não estamos connosco, estamos alheados. É necessário pararmos, desligarmos tudo, fecharmos os olhos e perguntarmos a nós próprios como nos sentimos. Trabalhar o nosso interior, perceber se há algo a incomodar-nos e porquê, se o nosso corpo se está a sentir bem, se precisamos de descansar... A meditação é sem sombra de dúvida muito importante e cada vez mais devido ao mundo agitado em que vivemos. Meditar nem que seja 5 minutos por dia já é um princípio que irá transformar a nossa vida. Manter um diário com o que estamos a sentir também nos ajuda entender imensas coisas. Muitas vezes precisamos de deitar cá para fora o que temos dentro para resolver determinadas limitações.


Espero que este artigo vos seja muito útil, e que vos ajude a procurar a felicidade aí dentro.
Não se esqueçam que a felicidade é uma escolha.





segunda-feira, 5 de novembro de 2018

5 dicas para decorar uma casa (quando a carteira é pequena)


Fez recentemente um ano que estou a viver sozinha. Há um ano, por motivos de trabalho, mudei para um local desconhecido para um pequeno apartamento que passei a chamar de "a minha casa". Encontrar uma casa para alugar foi uma aventura e uma aventura maior foi depois mobilá-la e decorá-la quase por completo. É importante salientar que nada disto seria possível se não tivesse tido o apoio dos meus pais. Eu saí da faculdade e arranjei emprego e mudei-me para aqui, por isso não tinha dinheiro para conseguir orientar-me logo no começo. Tenho acima de tudo a agradecer aos meus pais.

Posto isto vamos lá as dicas que reuni para rechearem a vossa casa sem terem que vender um rim:

1 - Móveis antigos

Este foi completamente o ponto chave na minha casa.
Sabem aqueles móveis que estão encostados na garagem de alguém, ou no sotão que já ninguém dá grande valor por aquilo? Pois é, nesses é que há um enorme potencial. Só é preciso termos um pouco de visão e conseguimos resultados fantásticos. Eu, honestamente, não precisei de pesquisar muito, a casa da minha avó estava cheia de móveis atafulhados e o sotão dos meus pais também tinha uma série de coisas encostadas que ninguém dava valor. Eu adoro móveis trabalhados, aquele toque romântico e de um trabalho feito com tempo apaixonam-me.
Encontrando os móveis, são só preciso uns bons braços para lixar tudo, arranjar possíveis danos do tempo e pintar de novo. É um processo tão bonito... Dar uma cara nova ao que é belo, mas está esquecido.
Estes móveis duram uma vida e a história que já têm para contar é impagável.

Comprar peças em segunda mão, é sempre uma boa opção por várias razões: serão peças únicas, a relação preço/qualidade é bastante vantajosa, estamos a dar uma vida nova a peças já existentes e é bastante sustentável!

2 - O charriot resolve

Os roupeiros são um grande investimento, para além do facto de ocuparem muito espaço em divisões pequenas. Quando me mudei para o meu apartamento decidi logo que em vez de um roupeiro iria ter um charriot para colocar a minha roupa. Já tinha uma cómoda por isso iria conseguir equilibrar as duas coisas. Os charriots cabem em qualquer canto e são bem acessíveis. São uma solução inicial excelente.

3- Cestas e mais cestas

Ok admito, eu sou louca por cestas. Muito antes de terem virado "moda" já eu adorava o ar campestre que elas trazem a uma casa. Consegui recolher várias em casa dos meus pais, da minha avó, ... Tenho sorte que venho dum meio pequeno onde as cestas eram muito usadas e hoje em dia já não tanto por isso as pessoas têm-nas encostadas, sem lhes dar uso. No entanto, se pesquisarem por cestas em segunda mão encontram imensas opções também! Eu tenho uma cesta para colocar livros, uma para guardar mantas de inverno, outras para guardar linhas e lãs,... É um solução barata e bonita para guardarmos as nossas coisas.

4 - 2 tapetes = 1 carpete

Este talvez tenha sido o maior truque de poupança que usei no meu apartamento. As carpetes são bastante caras então o que eu fiz, tanto para a sala como para o atelier, foi comprar tapetes e uni-los com fio de pesca bem resistente. É preciso um pouco de paciência, mas com tempo e calma tudo se faz e obtemos um resultado lindo a um preço maravilhoso. Por exemplo na minha sala comprei dois tapetes que juntos ficaram a 11€, e para o escritório comprei quatro tapetes que me ficaram a 4€.

5- Tenham calma

Obviamente que no começo a casa não irá estar de modo algum como vocês gostariam. O ideal é começar por trazer o essencial (cama, mesa, bancos,...) e depois aos poucos e poucos indo arranjando o resto por grau de necessidade. Há um ano atrás não imaginaria que a minha casa se viesse a tornar tão o meu espelho, mas é facto que se tornou. Aos poucos e poucos vamos acrescentar pequenos detalhes, pequenas peças... Mas, primeiro comecem pelo essencial e não desesperem por sentirem uma casa vazia, é apenas provisório!

Vão até ao meu instagram e vejam uma foto da minha sala há cerca de um ano atrás e agora!



Espero que estas dicas vos sejam úteis. Se tiverem mais alguma deixem nos comentários, vou adorar ler!



segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Organii Ecomarket 2018

(fotografia da página do facebook da organii ecomarket)


Há uns tempos li um livro muito interessante de um autor brasileiro chamado "moda com propósito". Foi um livro que me tocou bastante e me fez repensar muita coisa. Mas o facto mais interessante é que não fala de moda a apenas.

Tem uma abordagem inicial sobre o alinhamento dos astros e como isso afetará o mundo, e como as coisas já começam a mudar.  Segundo o livro estamos a entrar numa nova era, a era de aquário, e por isso as mentalidades estão a mudar. Vai haver um maior foco em nós mesmos, no impacto que provocamos. Uma maior preocupação por desenvolvimento e melhoramento pessoal.

E puxei à conversa este livro porquê? Porque já estou a sentir bastante esta mudança. E ontem ainda tive mais certeza da mesma quando fui ao Organii Eco Market. 


sábado, 27 de outubro de 2018

De volta?




A vida é feita de mudanças, é feita de crescimento, evolução... Hoje identificamo-nos com algo mas amanhã se calhar já não. E isso é normal, é humano. É preocupante é quando nada na nossa perspetiva do mundo muda, quer dizer que ficámos estanques.

Há quase dois anos atrás comecei este blog e tinha ideias definidas para o rumo que queria seguir, depois foi deixado ao abandono. E agora volto com um novo trilho para ele. É um blog escrito por uma pessoa por isso é natural que seja muito influenciado pelas minhas vivências. Hoje já não sou a mesma pessoa que era há dois anos atrás. A minha vida mudou e por isso volto a este meu cantinho com novas ideias e novas perspetivas para ele.

Não vou apagar o que está para trás pois orgulho-me do que fiz, porém o que se segue vai ser diferente. Vai ser um blog especialmente de lifestyle, com dicas sobre economia doméstica, receitas, locais, coisas que me agradaram de qualquer tema, livros,.. De tudo um pouco que faz parte da minha vida. Vou tentar também dirigi-lo para um estilo de vida mais sustentável. Estou a começar uma nova mudança na minha vida que é fazer com que a minha pegada neste mundo seja menos pesada do ponto de vista ambiental. E quero que façam parte deste processo e que vos inspire a começar também esta mudança na vossa vida.

Fiquem comigo nesta nova etapa do Cate & Ginger!

Cate